Share |

Artigo de opinião no Jornal de Tavira

Caros tavirenses

Faz pouco mais de um ano, apresentámo-nos às eleições municipais de Tavira. O povo escolheu eleger o PS para continuar a governar o município e ao BE deu apenas cerca de 7% dos votos. Não elegeu nenhum de nós para a vereação e apenas um elemento para a assembleia Municipal. O povo escolheu como entendeu, como lhe pareceu melhor para Tavira.

Apresentámo-nos, então, afirmando que a Câmara não tinha projetos para o desenvolvimento do concelho e para a resolução dos principais problemas que afetam a cidade e o município. Agora afirmamos que tudo continua como dantes, ou pior.

O problema da habitação é tremendo e nenhuma medida é tomada que venha no sentido de resolver o problema. O que se constrói é para turismo de posses elevadas. Não há habitação disponível para o povo, nem na cidade nem nas freguesias; a falta de recursos da Freguesias para atender às necessidades agravou-se, como nos dizem os próprios Presidentes; ouvimos as associações humanitárias que atendem necessitados, idosos e infância e ficamos a saber a falta de apoios do município e a situação de quase rotura em que algumas se encontram; criticamos o caos na circulação e a política de estacionamento e exigimos a melhoria da acessibilidade, nas freguesias e na cidade para o que a nova ponte nada virá contribuir. Com um saldo positivo de 4 milhões de euros ao ano e tendo a Câmara este ano um saldo transitado de cerca de 15 milhões, bem deveria a Câmara destinar pelo menos 1 milhão à habitação social. Isto sim, é que era socialismo! E quantas casas se fazem com o dinheiro de uma ponte?

Nenhuma ideia é proposta para o desenvolvimento do interior do concelho e no entanto bastaria copiar as boas experiências que alguns municípios desenvolvem com sucesso.

Criticamos a passividade da Câmara na exigência ao governo central da construção do porto de pesca e consequente melhoria da atividade pesqueira que ficará uma vez mais por remendos que não resolvem. Face à nossa proposta de exigência de investimento urgente na via férrea, que importa a tantos tavirenses, o PS entendeu que não era oportuna; a necessidade de requalificação da 125 e abolição das portagens na via do Infante também não recolhem o apoio do PS;

O povo votou como entendeu melhor, mas … não será melhor começar a apensar se não seria melhor votar de outra maneira!

José Manuel do Carmo