Share |

Nota de Imprensa: Bloco de Esquerda/Tavira rejeita estrada no Centro de Experimentação Agrária de Tavira

Bloco de Esquerda/Tavira rejeita estrada no Centro de Experimentação Agrária de Tavira

Após análise de todo o processo quanto ao atravessamento de uma estrada no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT), o Bloco Esquerda/Tavira (BE/Tavira) toma a posição de rejeitar liminarmente essa possibilidade, optando pela não realização de qualquer intervenção nas duas passagens de nível (Estação e Porta Nova) que constam no processo, salvaguardando assim todo o espaço do Centro Agrário e, garantindo também a eletrificação da linha ferroviária.

Defendemos a análise profunda, por toda a comunidade, das soluções a criar futuramente quanto às vias de acesso nos dois locais. Da análise efetuada verifica-se que o processo entre a Câmara Municipal de Tavira e a InfraEstruturas de Portugal teve início em Janeiro de 2018 e a comunidade de Tavira, assim como os Partidos da oposição apenas tomaram conhecimento em Janeiro de 2020, isto é, 2 anos depois. Lamentamos esta falta de transparência.

Após visitarmos mais uma vez o CEAT, concluímos que este continua a degradar-se quer materialmente, quer a nível de recursos humanos, defendendo o BE/Tavira a necessidade de reforçar o CEAT a nível de recursos humanos e tecnológicos, com o objetivo de recuperar este espaço único no País e de enorme valor para Tavira e para o Algarve.

Propomos e lutaremos para que a Câmara Municipal de Tavira inicie desde já um processo de cooperação com a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve) de forma a que futuramente todo o espaço existente no CEAT possa ser rentabilizado ambientalmente com ganhos futuros para as novas gerações, garantindo acima de tudo a preservação do património de Tavira.

A comunidade de Tavira pode contar com o Bloco de Esquerda/Tavira quanto ao surgimento de soluções sustentáveis, quer para o Centro de Experimentação Agrária de Tavira, quer para todo o concelho, evitando que se faça uma gestão de “navegação à vista” , tão própria deste executivo camarário. Temos de pensar em conjunto o futuro de Tavira e não podemos permitir que a deriva urbanística do lucro fácil e das ambições desmedidas desvirtuam o concelho e hipotequem a qualidade de vida das próximas gerações.

P’lo Núcleo de Tavira do Bloco de Esquerda

Luís Manuel da Rosa Fernandes